// Imposto de renda / Carnê Leão / Livro Caixa

Espaço do Dentista

Imposto de renda / Carnê Leão / Livro Caixa

• O correto preenchimento abastece o Livro Caixa que será a base para a emissão do DARF para pagamento do imposto devido (caso haja), além disso, o programa gera o Termo de Abertura e encerramento. Ao final do ano base o Livro pode ser encadernado e deverá ser arquivado por 5 anos.

• O recolhimento deve ser feito até último dia útil do mês subsequente a apuração. Não mais será possível o recolhimento por estimativa. Tem que haver comprovação.

• O número de registro na entidade de classe passa a ser obrigatório de constar na DIRPF (do paciente e do dentista);


 

• As entradas deverão ser preenchidas com base nos recibos emitidos no mês referente com os respectivos CPF da fonte pagadora. Caso o recebedor do tratamento seja diferente do pagador, este também precisará ter seu CPF discriminado (se maior de 16 anos). A falta desde dado não permite a gravação da entrada. Isso é especialmente importante pra quem faz orto e atende muitos ‘dependentes’. Para cheques de ‘terceiros’ depositado em sua conta, o recibo deve ser emitido no CPF do emissor do cheque (mesmo que vc não o conheça) e o paciente como beneficiário.

Este recibo não poderá ser utilizado na declaração do cliente para dedução.


• Tratamentos recebidos em parcelas devem ter emissão de um recibo para cada parcela e lançado mês a mês;

• Parcelamentos no cartão de crédito serão lançados na data do efetivo recebimento e no valor total da parcela. As taxas administrativas descontadas devem ser lançadas nos custos. O ticket do cartão NÃO vale como recibo, apenas comprova a transação com a operadora.

• O profissional que recebe de empresas ou convênios deverá lançar os dados somente na Declaração de 2016 como recebimentos de pessoas jurídicas e comprovadas pelo Informe de Rendimentos. Não entram na base de cálculo, visto que o imposto já foi recolhido pela fonte pagadora;

• Pagamentos de Previdência Oficial (INSS) calculados sobre o bruto recebido até o teto de 932,75 (em 2015) também devem constar no Carnê Leão;

• Aposentados que continuem a exercer a Odontologia devem continuar contribuindo com a Previdência Social.


Das deduções:

Podem ser declarados como custos tudo o que for gasto para manter a fonte produtora com discriminação e comprovante. São dedutíveis água, luz, aluguel, condomínio, IPTU, material de escritório, conservação e limpeza. Despesas com funcionários (registrados), dental, protético. Notas fiscais e comprovantes fiscais devem conter o CPF do contribuinte. Computador e equipamentos para exercício da odontologia (cadeira, rx, profi, etc.) não são dedutíveis, são considerados Bens e Direitos.

O simples preenchimento do CPF no Carnê Leão não o envia pra Base de Dados da Receita. Estes dados serão exportados para O Programa da Declaração de 2016.

 

Tabela de despesas

DEDUTÍVEIS NÃO DEDUTÍVEIS
ALUGUEL / CONDOMINIO APLICAÇÃO CAPITAL
ÁGUA /LUZ/TELEFONE AQUISIÇÃO DE COMPUTADOR
APCD E CRO AQUISIÇÃO DE EQUIPAMENTOS
LABORATÓRIO DE PRÓTESE REFORMAS DO IMÓVEL
MATERIAL ODONTOLÓGICO DESPESAS COM TRANSPORTE
MATERIAL DE ESCRITÓRIO CARNÊ LEÃO PAGO
MATERIAL DE LIMPEZA SEGUROS VIDA/CARRO/IMÓVEL
SALÁRIO/ENCARGOS FUNCIONÁRIA IPTU RESIDENCIAL
   

 

 




Dental APSS - Uma das Dentais que mais crescem no Brasil

Uma das Dentais que mais crescem no Brasil