// Artigo: Conheça a diferença entre vaselina liquida e sólida

Espaço do Dentista

Conheça a diferença entre vaselina liquida e sólida:


A vaselina é um produto que possui diversas funções, tanto para fins cosméticos, como hidratação e rejuvenescimento da pele, quanto na área da saúde, seja na medicina ou na odontologia.


O odontologista pode utilizá-la em diversos procedimentos. No mercado, é possível encontrá-la em duas versões: líquida ou sólida. Cada uma tem as suas peculiaridades, aplicações e funções.
Por isso preparamos esse artigo para acabar com suas dúvidas! Veja abaixo as diferenças entre a vaselina líquida e sólida e para que serve cada uma delas.

Confira!

Vaselina Líquida x Vaselina Sólida



A vaselina é um derivado de petróleo, oleaginosa, límpida, incolor, com um leve odor de petróleo. Basicamente suas composições são idênticas, tendo apenas diferenças quanto à textura. Porém, seus usos não são os mesmos e cada uma sua aplicação específica nas práticas odontológicas.

A Vaselina Líquida



No caso da vaselina líquida, pela sua textura, é a mais recomendada para isolar o dente do paciente no caso de um procedimento de restauração. Como nesse processo atualmente é utilizado - na maioria dos casos - a resina acrílica, a vaselina é importante para que o material não cole no dente enquanto ainda é moldado.


Portanto, um uso é evitar o contato de materiais com o dente do paciente. Ela também pode ser utilizada para isolar o canal, e para evitar que placas colem em próteses totais. Por serem líquidas, podem ser aplicadas precisamente no local. Porém, é preciso ressaltar que, no caso de moldagem de núcleo metálico, há controvérsias na academia sobre o uso da vaselina, por deixar resíduos gordurosos.

A Vaselina Sólida



Já a vaselina sólida também tem suas aplicações ligadas à textura. Por ter uma estrutura mais firme, e portanto não escorrer, é utilizada em todo contato com a pele do paciente. Por exemplo, no caso de moldes feitos com pasta zinco-enólica para preparação de próteses totais (dentaduras), a luva do dentista pode estar com algum resíduo da pasta e, por acidente, acabar encostando este material na pele do paciente. Caso não tenha sido passado vaselina sólida naquela região, a pasta ficará grudada no rosto do paciente. E se você não tiver alguma forma para utilizar água morna para removê-la, pode criar uma situação incômoda para seu cliente, que terá que voltar para casa com o rosto sujo. Neste caso a vaselina sólida é a mais recomendada, pois ela ficará apenas naquele local, evitando que escorra e acabe "engordurando" a pele.


Outro uso também é no caso de procedimentos que exigem que o paciente fique muito tempo com a boca aberta (como extração de sisos ou tratamento de canal, por exemplo), ou caso ele já chegue com a mucosa da boca e os lábios ressecados. Caso isso aconteça, a tendência é que a pele acabe rachando, o que não é recomendado. Como a vaselina serve também para hidratação desses locais, aplique antes e depois do procedimento. Recomende a seu paciente que continue aplicando vaselina sólida no local, para evitar feridas nos lábios por ressecamento.


Toda vez que você precisar da vaselina em pequenos locais, ou em caso de moldes, utilize ela em sua versão líquida. Quando for preciso aplicá-la na pele do paciente, para lubrificar ou isolar aquela região de produtos que possam grudar ali, utilize a sólida, para que não escorra.


Ficou alguma dúvida? Deixe nos comentários e responderemos!



Dental APSS - Uma das Dentais que mais crescem no Brasil

Uma das Dentais que mais crescem no Brasil